quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Pedi ao SENHOR chuva no tempo da chuva serôdia, sim, ao SENHOR que faz relâmpagos; e lhes dará chuvas abundantes, e a cada um erva no campo. ( ZC 10:1 )

A chuva é um elemento da natureza d vital importância para os vegetais, animais, e o próprio homem. Ela torna a terra macias fácil d ser revolvida pelo lavrador e logo q a semente é plantada ela ajuda a nascer e a crescer d modo q alcance pleno desenvolvimento. Sem chuva os rios secam, os animais morrem d sede os campos ficam secos e expostos aos perigos dos incêndios, especialmente no verão. A chuva promove uma limpeza na própria atmosfera d onde se desprende, evitando q poeiras portadoras d pestes e enfermidades nos atinjam. A chuva é necessária, desejável e esperada por todos, especialmente nas regiões áridas e tórridas. A Bíblia fala sobre 2 tipos d chuva, a temporã e a serôdia. Uma cai nas regiões da Palestina em meados d outubro e vai até meados d dezembro e a outra, a serôdia, cai nos meses d março e abril. Essas chuvas quando citadas na Bíblia são símbolos do Espírito Santo e são mencionadas para dizer das bênçãos q Deus derramaria sobre seu povo. Da mesma maneira como a chuva temporã cai sobre a terra preparando-a para a semeadura, assim o Espírito Santo caiu sobre os discípulos no dia d Pentecoste dando-lhes maior capacidade e autoridade para pregarem o Evangelho. Daquele dia em diante até agora a Igreja tem semeado a palavra d Deus e ainda continuará semeando até Jesus voltar. Estamos pois, debaixo da chuva temporã, chuva do Espírito, chuva d bênção e d poder. Assim como ocorre c/ a chuva q ao cair, amolece a terra e torna-a fecunda, semelhantemente o Espírito Santo ao cair no coração do pecador, torna-o quebrantado e... preparado para receber a semente da Palavra d Deus. Quem fica debaixo da chuva do Espírito Santo recebe poder, é batizado c/ o Espírito Santo, fala língua estranha, recebe dons espirituais, fica alegre e animado para testemunhar d Cristo aos pecadores. Vç já recebeu desse poder em sua vida?

Enches de água os seus sulcos; tu lhe aplanas as leivas; tu a amoleces com a muita chuva; abençoas as suas novidades. Coroas o ano com a tua bondade, e as tuas veredas destilam gordura. Destilam sobre os pastos do deserto, e os outeiros os cingem de alegria. Os campos se vestem de rebanhos, e os vales se cobrem de trigo; eles se regozijam e cantam. ( SL 65:10-13 )

Ele descerá como chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra.
Nos seus dias florescerá o justo, e abundância de paz haverá enquanto durar a lua.
Dominará de mar a mar, e desde o rio até às extremidades da terra. ( SL 72:6-8 )

Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.
( OS 6:3 )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.